</a>
Um guia básico explicando por que aeronaves arremetem e por que ele é seguro. Traduzido para Inglês, ótimo para profissionais da aviação que estudam inglês e excelente para os seus amigos quem não são de aviação quem ter medo de voar ! Por favor compartilhe com eles!
Plane English está disponível para traduções de documentos e currículos de português ao inglês. Entre em contato via email, paul@planeenglish.com.br ou via o whatsapp 61998403020
<div style=”width: 40%; padding: 0 10pt 0 0; float: left;”>
<h3>Então, O avião arremeteu, e agora?!</h3>
Por Ricardo Abritta
Traduzido por Paul Davey
Recentemente vi uma notícia postada em um site que noticiava a arremetida de um avião no aeroporto do Rio de Janeiro, citando que não houve feridos. Bem, noticiar uma arremetida é o mesmo que noticiar que sinais de trânsito ficaram vermelhos e os carros tiveram que parar.
Uma arremetida está mais dentro da realidade “voar” do que o serviço de bordo em si. É algo normal, assim como um pouso ou uma decolagem.
Este procedimento acontece sempre que os pilotos ou controladores percebem/julgam que a aproximação, se continuada, não estará segura, ou seja, a arremetida acontece antes que o fato inseguro se concretize. Continuar a aproximação numa situação insegura é que seria o problema.
Cada empresa aérea possui um manual que padroniza a operação da aeronave visando segurança e economia. Neste manual, dentre outras coisas, constam os limites para uma aproximação estabilizada. Cada empresa estabelece seus próprios limites, que podem ser mais restritivos que os do manual do avião, recomendado pela fabricante, mas nunca serão menos restritivos do que isso ou a legislação em vigor. A violação de tais limites implica em penalidades para os tripulantes e é tida como violação de regra.
Normalmente os limites para uma aproximação segura e estabilizada giram em torno de altitude e velocidades corretas na final para pouso, ventos de cauda, rajada e de través não muito elevados e dentro do que o avião é certificado, bem como a configuração da aeronave e o ponto na qual ela deve estar totalmente configurada para o pouso.
Vários fatores podem gerar uma arremetida, dentre eles:
– O controlador encurtou o procedimento de chegada e o avião ficou alto demais. Seria perigoso e fora do padrão insistir na aproximação estando alto demais…
– Uma aeronave que decolou reportou detritos na pista. As aeronaves em aproximação podem ser instruídas a arremeter e efetuar espera até que a viatura do aeroporto faça uma verificação na pista para garantir que não haja detritos…
– A aeronave chegou com mais velocidade do que deveria na hora de pousar… Isso pode acontecer por “N” motivos…
– Vento de cauda muito forte – Nesta situação, é melhor arremeter e pousar na outra cabeceira. Pousar com vento de cauda aumenta a distância necessária para parar o avião…
– A aeronave que pousou antes ainda não saiu da pista…
Antes de iniciar a descida, a tripulação executa um briefing sobre a chegada, e nele consta o procedimento de aproximação perdida, que é publicado na carta do procedimento de pouso. Na final de pouso, o avião já está preparado para pousar e também para arremeter. Caso seja necessário, basta apertar um botão, aplicar potência, recolher um pouco dos flaps e o trem de pouso.
Na aviação, costuma-se dizer que um pouso é uma arremetida que deu errado, ou seja, você vem para arremeter, mas se nada o levar a isso, aí você pousa.
Então, não há o que temer!! Se o avião arremeter, fique calmo e lembre-se desse texto!
Bons voos!
</div>
<div style=”width: 40%; padding: 0 10pt 0 0; float: right;”>
<h3>The Aircraft went around, and now?!</h3>
By Ricardo Abritta
Translated by Paul Davey
I recently saw a news item posted on a site that denounced the go-around of an aircraft in Rio de Janeiro, citing that no one was hurt. Well, reporting a go-around is the same as reporting that a traffic light turned red and that the cars had to stop.
A go-around is more within the “flight” reality than the service itself. It is something normal, just like a landing or a takeoff.
This procedure happens whenever the pilots or controllers realize/think that the approach, if continued, will not be safe, i.e. go-arounds happen before an unsafe occurrence happens Continuing the approach in an unsafe situation, that would be the problem.
Each airline has a manual that standardizes the aircrafts operation aimed towards giving the best safety and economy. In this manual, among other things, the limits for a stabilized approach are set out. Each company sets its own limits, which may be more restrictive than the plane’s manual, as recommended by manufacturer, but will never be less restrictive than that or than the legislation in force. A violation of such limits entails penalties to the crew and is taken as a rule violation.
Normally the limits for a safe and stabilized approach revolve around the correct altitudes and final landing speeds, tail winds and gusts as well as the configuration of the aircraft and the point at which it must be fully configured for landing to decide the certification criteria.
Several factors can cause a go-around, among them:
-The controller shortened the arrival procedure and the plane was too high. It would be dangerous and nonstandard to insist on continuing an approach when the aircraft is too high.
-An aircraft that took off reported foreign object debris (FOD) on the runway. The aircraft on approach can be instructed to go-around and wait until an airport security vehicle checks the runway to ensure that there is no debris.
-The aircraft arrived with more speed than it should during the final approach stage. This can happen for “N” motives.
-Very strong tail wind – in this situation, it is better to go around and land on the opposite runway. Landing with a tailwind increases the distance required to stop the aircraft.
-The aircraft that landed in front hasn’t left the runway.
Before starting the descent, the crew performs a briefing about the arrival that includes the missed approach procedure that is published on the landing procedure chart. In the end, the plane is prepared both for landing and also for going around. If necessary, simply push a button, apply power, retract some of the flaps and retract the landing gear.
In aviation, it is often said that a landing is a go-around that went wrong, i.e. you arrive prepared to go-around, but if nothing leads to that, then you lands.
So, there is nothing to fear! If the plane goes around, stay calm and remember this text!
Blue Skies
</div>