Um artigo originalmente publicado no site news.com.au traduzido pela Plane English para que seja apreciado em Português. Nós gostaríamos de traduzir artigos do inglês para o português assim como lê-los lado a lado pode ser um simples e divertido exercício para construir vocabulário. Além de nossa fantástica preparação para o teste ICAO, cursos de fraseologia e preparação para entrevistas, nós também traduzimos currículos para aqueles de vocês que estiverem procurando emprego fora do Brasil.

Esperamos que aproveite este artigo.

An article originally published on news.com.au translated by Plane English so that it can be enjoyed in Portuguese, we like to translate English articles in to portuguese as reading the two side by side can be a simple and fun exercise to build vocabulary. Beyond our fantastic ICAO test preparation, Phraseology courses and interview preparation we also translate curriculos for those of you looking for employment outside of Brazil.

We hope you enjoy the article

Why do Boeing planes start and end with the number 7?

There’s the classic 747, the smaller 737 and more recently, the fancy 787 Dreamliner. And don’t forget the 757, 767 and 777.

So have you ever wondered just what’s with all the numbers 7s when it comes to Boeing aircraft models? Is there a method to the numbering “madness”?

Well, it turns out, yes. And according to Boeing, this is actually one of the most common questions they’re asked to this day.

Despite what you may have suspected, it’s not because they had an affinity for the lucky number 7. Another common myth is that they drew the name from the angle of the aircraft’s wing, RoadWarriorVoice.com reports.

But the truth actually lies in what could have been one of the greatest marketing suggestions of all time.

Boeing didn’t always use the 7—7 numbers — in fact it’s earlier aircraft had names like Model 40, Model 80, Model 247 etc. Not exactly as catchy.

After World War II, the company was restructured and each department was given a three-digit number. That’s when things got interesting.

Boeing historian Michael Lombard says: “To support this diversification strategy, the engineering department divided the model numbers into blocks of 100 for each of the new product areas: 300s and 400s continued to represent aircraft, 500s would be used on turbine engines, 600s for rockets and missiles and 700s were set aside for jet transport aircraft.”

Realising the name Model 700 didn’t exactly roll off the tongue, Boeing’s marketing department suggested the name 707 instead. And the pattern began — 727, 737 etc. It continues to this day, with the latest Boeing 787 Dreamliner models.

So there you have it.

Porque os aviões da Boeing começam e terminam com o número 7?

Existe o clássico 747, o menor 737 e, mais recentemente, o luxuoso 787 Dreamliner. E não se esqueça do 757, 767 e o 777.

Então você já tentou imaginar justamente o porquê de todos os números 7 quando se trata dos modelos de aviões Boeing? Existe algum método “louco” em que eles são numerados?

Bem, como verificado, sim. E, de acordo com a Boeing, essa é, na verdade, uma das perguntas mais comuns que são feitas a eles hoje em dia.

Apesar de você poder atéter suspeitado, não é por que eles têm uma afinidade com o afortunado número 7. Outro mito comum é que eles tiram na sorte o nome através do ângulo da asa das aeronaves, relata o site RoadWarriorVoice.com.

Mas o que poderia ser uma das melhores sugestões de marketing de todos os tempos é que dá a luz à verdade.

A Boeing nem sempre utilizou o 7 –números 7 – na verdade, suas mais antigas aeronaves possuíam nomes como Modelo 40, Modelo 80, Modelo 247, etc. O que não era exatamente um atrativo para eles.

Após a Segunda Guerra Mundial, a companhia foi reestruturada e para cada departamento foi dado números com 3 dígitos. Foi a partir daí que as coisas começaram a ficar interessantes.

O Historiador da Boeing Michael Lombard diz: “Para apoiar esta estratégia diversificada, o departamento de engenharia dividiu os números modelos em blocos de 100 para cada área de produção: os números 300 e 400 continuaram a representar aeronaves, os 500 seriam utilizados para motores de turbinas, os 600 para foguetes e mísseis e os 700 foram ajustados a parte para aeronaves de transporte a jato.”

Constatando que o nome Modelo 700 soa como trava-línguas, o departamento de marketing da Boeing sugeriu, no lugar, o nome 707. E o padrão começou – 727, 737, etc. Isso continua até os dias de hoje, com o último modelo do Boeing 787 Dreamliner.

Então é isso ai.